Páginas

domingo, 30 de março de 2014

VOCÊ ME FAZ SENTIR

você me faz sentir que
estou voltando a agir certo

eu nunca pensei que poderia reacontecer

mas você me faz sentir que
nosso amor pode ser possível

eu poderia apenas viver por viver

mas você me faz sentir que
tudo o que eu quero é você

agora eu sei que é amor
pois você me faz sentir
menos sozinha

COISAS BELAS E SUJAS

hoje estou romântica
pensando em alguém que vale a pena
posso dizer: me apaixonei
espero esta oportunidade sem saber
eu nunca tive alguém como você
o melhor de mim foi seu
quando me lembro do que passou
eu vejo coisas belas

hoje estou sem você
não tive como te ter
posso dizer que eu errei
somente agora eu entendo
você disse: é tarde
agora já tem outro alguém
eu pensava que era esperta
quando me lembro do que passou
eu vejo coisas sujas

sexta-feira, 28 de março de 2014

Quero falar com você

VOLTA

roda viva
rola e lá volto eu
a te encontrar

passaram dias, anos
passaram amores
e lá volta você

e agora?

meia volta ou volta inteira

MINHA CASA

minha casa
um museu de memórias falhas
um baú de recentes antiguidades

minha casa
afundada em min(as)
varanda vazia de flores

minha casa
uma estrada para meu infinito
morada da intuitiva criação

templo da imaginação
parede para pintar com cores
de palha, pedra e prata

chão de imagens
acústica de músicas
descanso e paz

DOS ESTATUTOS ANARQUISTAS DA NOITE



Dos estatutos anarquistas da noite:

(Ou como ser louco sem incomodar outro louco)

I - Todo doidão será consciente da sua própria doideira.
II - Ou a malucada racha ou cada um paga a sua cerveja.
III - Nesses momentos é melhor nenhum maluco chegar mangueando.
IV - Cada doido segura a sua própria onda.
V - Caso a onda extrapole o maluco será conduzido ao seu devido lugar. Lugar esse que pode ser em Cacha Prego.
VI - Ideias e opiniões sempre serão discutidas e curtidas em leveduras fermentadas e em ambientes esfumaçados.
VII - O louco deverá amar o outro louco acima de todas as doideiras.
VIII - Em caso de paixão avassaladora deverá o maluco se entregar.
IX - São permitidos barbas por fazer, cabelos encaracolados, roupas extravagantes, narizes de palhaço, instrumentos musicais, bicicletas desgovernadas e cadernos de poesia.

(Construção individual de observações coletivas, com Fátima Porto)

quinta-feira, 27 de março de 2014

quarta-feira, 26 de março de 2014

DIÁRIO BORDÔ

Primeira Lua de outono - 2014 / Kátia Kirino

Itamambuca / Ubatuba - SP
Kátia Kirino


o Tubarão do filme habita a memória
no momento de mergulhar longe do balneário
desta vez sem bilhetinho em garrafa
apenas a pergunta faria: seria ou não seria?
sereia submersa e suas cantigas em lua cheia
água que resplandece a noite quente
sereia ou não seria? a novidade

o Tubarão assola os pensamentos da menina
desde a tenra idade vivia embaixo da cama
nas noites em que a cama flutuava no mar
mas eram golfinhos que apareciam de dia
e o barco se movia no balanço das ondas
trilhas, visões de areia e amendoeiras
eu não temo baleias nem balanços

o pescador não tem medo?
eu vim das águas doces para desvendar segredos
o verão se vai e os ventos mudam
encontro, desencontro e estrondo surdo
fica pra trás da Serra do Mar ao norte
em despedidas e lágrimas disfarçadas
se vai ou se fica o sonho de voltar




"A estrela que estava escondida 
Sentiu-se atraída depois então
apareceu
Mas ficou tão enternecida 

Indagou a si mesma 
a estrela afinal será ela ou sou eu" 

Licença poética:
O MAR SERENOU - Candeia

Citação: A novidade - Herbert Vianna



MAR

C O M    P I T O

M A R    À    T O N A


sábado, 1 de março de 2014

CONSELHEIRO DOS LIMIARES

não se aprisione no belo
ande na contramão dos modelos
e vai encontrar o encanto
no dissímil feio

não tema a derrota
é o destino de quem guerreia
 e continua vivo para
pedir trégua ao inimigo

não se detenha as verdades
elas estão submersas no tempo
transpassando as farsas
de mocinho e bandido

não se deleite com versos falidos
o corsário da imaginação
já roubou-lhe a razão
atenha-se ao essencial

não se importe com o que há de vir
deixa esta porra toda explodir
o roteiro vem escrito
pela metade, improvise













NEGATIVando

minha poesia não quer querer
não quer ser bela, não quer ser certa

minha poesia não quer caber
não quer ser prosa, não quer adjetivos

minha poesia só quer ser um peixe

FARTA ARTE

bacante sem Dionísio
Mangue Beat sem Science
suingue sem contradição
meta sem fora
instalação sem Bienal
cinema sem Almodóvar
bossa sem nova
Noel sem o Rosa



AMOR ANTIGO

esse amor de gerações
vai contra o tempo
ao encontro das distâncias

esse amor nos torna opostos
e cada vez mais próximos
do fim, este limiar da vida

esse amor de anos atrás
guardado no baú de lembranças
empoeiradas e juvenis

esse amor antigo ainda me leva
a cruzar o chão da América
e reinventar a nossa união